Calp vai estudar a situação da habitação turística Calp vai estudar a situação da habitação turística
LaMarinaAlta. com
Pesquisar um artigo

Calp vai estudar a situação da habitação turística

Junho 04 de 2024 - 12: 04

A Câmara Municipal de Calp criou uma comissão de trabalho técnico e político multidisciplinar para estudar a situação habitacional na cidade. O objetivo é analisar as diferentes soluções no âmbito da jurisdição municipal, para determinar soluções e ações destinadas a alcançar o objetivo de habitação digna e acessível.

Entre 2023 e até agora em 2024, mais de 1000 novas casas turísticas foram adicionadas ao parque habitacional turístico do município, atualmente, um total de 5.365 casas turísticas estão registadas no Calp; Ou seja, um quinto destas casas foi acrescentado nos últimos 16 meses.

De acordo com uma consulta ao INE, no Calp existem um total de 26.201 habitações, das quais 9.839 se destinam a residências principais. Portanto, do total de moradias do Calp, aproximadamente um quinto são residências turísticas, enquanto, em relação às que não são residências primárias, um terço são classificadas como residências turísticas. Todas estas moradias estão distribuídas por todo o terreno urbano residencial do município de Calp, visto que em todo o seu conjunto o referido uso residencial é compatível com o uso hoteleiro terciário.

Por esta razão, urge estudar e regulamentar a implementação de novas habitações turísticas tendo em conta a influência que a sua proliferação tem nas restantes soluções habitacionais. O objectivo seria promover uma regulação do sector que proporcionasse segurança jurídica, mas também regulasse o alojamento turístico e prevenisse actividades ilegais.

Para tal, a comissão de trabalho estudará uma modificação dos usos permitidos pelo PGOU nos terrenos onde se decidir limitar a implantação de mais habitações turísticas. Da mesma forma, a situação da habitação turística deverá estar relacionada com as restantes modalidades de habitação – residência habitual em regime de propriedade ou arrendamento, habitação de rendimento livre ou em habitação pública, habitação subsidiada, etc.
Dado que esta não é uma questão meramente urbana, mas afecta um sector económico relevante como o turismo, o painel é composto por técnicos e funcionários dos diferentes departamentos municipais afectados.

Além disso, a participação será dada a diversos profissionais do setor e ao Conselho Municipal de Turismo. O prefeito, Ana Sala, destacou que “este é um problema que afecta muitos municípios turísticos, queremos encontrar um equilíbrio entre a oferta de habitação turística e a oferta de habitação permanente para que os jovens e trabalhadores também tenham acesso à habitação no Calp”.

Deixe um comentário

    5.430
    1.669